A Oficina

A Oficina surge então de uma necessidade de qualificar os trabalhadores da música no movimento espírita, e desde 2003 vem crescendo, solidificando suas bases teóricas e aperfeiçoando sua prática. De um ensaio de um grupo de “violeiros” do pólo XIII de COMEERJ (Confraternização das mocidades espíritas do estado do Rio de Janeiro) tornou-se um curso estruturado onde os interessados podem aprender teoria musical, solfejo, prática do instrumento, técnicas de desenho, pintura, quadrinhos, editoração de cartazes, edição de vídeo, roteirização, crítica literária, produção textual, técnicas de interpretação teatral e expressão corporal.

O trabalho se ampliou para além das fronteiras da COMEERJ e hoje conta com mais de cem integrantes de diversas regiões, abrangendo cerca de 30 instituições espíritas por todo o Rio de Janeiro.

A história do movimento espírita se constrói a cada dia e a OFICINA quer continuar contribuindo e participando desta obra, oferecendo o que tem de melhor para a capacitação dos trabalhadores da arte espírita.

oeae-dinamica

O objetivo geral da OFICINA é “fortalecer a ação evangelizadora através da arte à luz da Doutrina Espírita”.

Entendemos que a arte pode enriquecer a prática evangelizadora através de seus múltiplos recursos e linguagens, e apesar de não termos a pretensão de que a arte seja o único ou o melhor caminho para promover a reforma íntima de quem quer que seja, não podemos desprezar o conhecimento humano e muito menos as orientações espirituais que chegam ao nosso conhecimento sobre o poder de influência que a arte tem sobre as pessoas em geral.

A arte fala diretamente à emoção e consegue acessar sentimentos que não são tocados através das abordagens ordinárias. Associada à Doutrina Espírita torna-se ao mesmo tempo sensibilizante e esclarecedora, cumprindo melhor seu objetivo mais importante que é “elevar a alma humana a Deus”.

 

Algumas metas derivadas do objetivo geral:

  • Despertar a sensibilidade artística e o senso crítico.

Buscamos o refinamento da sensibilidade e do senso crítico através de apreciação de diversos estilos e estudos sobre a história da arte. Apreciaremos melhor quanto mais desenvolvida for a nossa sensibilidade.

 

  • Estudar a Arte à luz da Doutrina Espírita

O estudo da arte é associado ao estudo doutrinário. Desta forma o aluno pode compreender as causas e conseqüências envolvidas no fazer artístico e se posicionar com mais clareza perante o trabalho da arte no movimento espírita.

 

  • Fomentar a percepção da arte como veículo do processo de transformação do espírito.

Parafraseando Rossini, podemos dizer que a arte é o médium da Harmonia. A arte pode elevar a alma e a colocar em contato com sentimentos que remetem à felicidade futura, transformando por breves instantes a ambiência dos que a apreciam.

 

  • Promover a identificação e o desenvolvimento das potencialidades do indivíduo através da arte.

A promoção do autoconhecimento através do fazer artístico e do desenvolvimento humano como resultado do aprimoramento da própria sensibilidade são metas que perseguimos.

 

  • Desenvolver e aprimorar a habilidade de expressão através da arte à luz da doutrina espírita.

A técnica apurada permitirá ao trabalhador da arte espírita expressar a Harmonia de uma forma muito mais eficiente. Além da maior facilidade para receber as intuições da espiritualidade maior, este trabalhador tenderá a se expressar artisticamente de forma mais consciente e produtiva.

 

  • Conscientizar sobre a necessidade da conduta espírita perante a arte.

O trabalhador da arte espírita se difere do artista comum, pelo fato de sua produção servir a um objetivo edificante. Sua conduta perante a arte deve ser pautada o quanto possível nos caracteres do homem de bem.

 

  • Estimular os participantes ao trabalho artístico de cunho doutrinário.

Entendemos que a produção artística é fundamental para a própria evolução permanente da arte espírita. Por isso estimulamos nossos alunos a desenvolverem seus projetos. Quanto mais se produz, mais se refina.

 

  • Contribuir para a continuidade do trabalho da arte no movimento espírita.

Promover eventos que criem oportunidades reais para que as artes sejam apreciadas e vivenciadas de maneira adequada é uma de nossas propostas para que a arte se torne cada vez mais forte no movimento espírita.

 

  • Difundir o espiritismo através da arte.

A divulgação da doutrina espírita pode ser feita de diversas maneiras. Através da arte podemos alcançar um público diversificado, principalmente através da utilização de mídias contemporâneas como a internet.

Nossa metodologia considera o indivíduo como ser integral. A proposta é realizar atividades dinâmicas que estimulem a aprendizagem através do despertar dos próprios potenciais dos participantes. Os encontros possuem momentos teóricos, práticos, vivenciais e doutrinários.

Os estudos teóricos relativos a cada modalidade artística englobam aspectos fundamentais sobre os quais serão construídos conceitos sólidos que embasarão as técnicas ensinadas nos momentos práticos. O entendimento dos conceitos envolvidos permitirá uma prática mais consistente e lúcida.

Os estudos práticos são voltados para a “vida real” do trabalho no movimento espírita. As canções ensinadas podem, já a partir das primeiras aulas, ser utilizadas na evangelização e começam a compor o repertório dos alunos. Toda a produção do curso de Artes Visuais é calcada em pequenos projetos, surgidos de demandas reais do movimento espírita, como cartazes, logomarcas etc. e a cadeira de Artes Literárias publicará suas produções, artigos e críticas ao final de cada ano, para oferecer como subsídio aos evangelizadores.

Os momentos vivenciais são utilizados para trabalhar conceitos de forma não verbal. Experimentando as vivências propostas pela equipe, os alunos entram em contato com emoções e sentimentos que contribuem para seu autoconhecimento.

Todos os encontros possuem o momento de estudo da arte à luz da Doutrina Espírita, tendo como base a codificação e algumas obras acessórias, separando os grupos por faixa etária. Estes estudos buscam conscientizar os alunos quanto à sua conduta perante a arte e os trabalhos que serão desenvolvidos por eles.

A condução das aulas de arte é feita por pessoas capacitadas, espíritas, de vínculo voluntário. Os estudos são conduzidos por pessoas com experiência em evangelização espírita e que estão em consonância com os objetivos da Oficina.

Além destes momentos, temos a Prática de Conjunto, onde os alunos têm oportunidade de interagir e se confraternizar numa apresentação multimídia envolvendo todos os oficinas.

Artes integradas:

Evangelização e Arte:

Ricardo Leite
Helen Estrela

Oficininha:

Dídima Freire
Daniel Vieira
Juliana Rangel

Artes Cênicas:

Dança:
Bernardo Moraes
Julia Brandão
Priscila Rodrigues
Rosangela Rajoy
Vanessa Pereira

Teatro:
Adolfo Tavares
Andrea Moraes
Renato Soares

 

Artes Visuais:

Desenho e Quadrinho:
Artur Mendes
Gika Carvalho
Marcio de Castro

Design:
Giselle Pachêco
Rosana Prado
Israel Mesquita
Gika Carvalho

Cinema e Fotografia:
Thais Vasconcelos
Juliana Varajão

Arte da Palavra:

Raquel Mina

 Ana Paula

 

Música:

Baixo:
Marcelo Manga
Ronaldo Mathias

Canto:
Amanda Vidal
Diogo Carneiro
Flávia Rubatino
Hugo Ardilha

Percussão:
Fellipe Coelho
Lucas Gomes

Teclado:
Adriana Pimentel
Alexandre Queiroz
Leandro Turano
Daniel Vieira
Orlando

Violão:
Allan Valdívia
Ana Nathalie
Flávio Mina
Francisco Walberth
Gabriel Ramos
Luiz Roberto
Rodrigo Rei
Saulo Telles
Thiago Gomes
Tuca Alves

Música

Teclado

Saiba mais
Violão

Saiba mais
Percussão

Saiba mais
Baixo Elétrico

Saiba mais

Artes Cênicas

Teatro

Saiba mais
Dança

Saiba mais

Artes Integradas

Oficininha

Saiba mais
Vivências na arte

Saiba mais

Arte da Palavra

Arte da Palavra

Saiba mais

Artes Visuais

Fotografia

Saiba mais
Cinema

Saiba mais
Design

Saiba mais
Desenho e quadrinho

Saiba mais
Workshops de Artes Visuais

Saiba mais
Get Adobe Flash player